Operação Oscar 2016: 45 anos

Kate e Geoff estão prestes a completar 45 anos de casados e Kate está planejando uma festa de boldas para comemorar a data com os amigos. Porém, dias antes, Geoff recebe uma carta informando que o corpo de sua primeira namorada foi encontrado depois de 50 anos do acidente. A notícia mexe com Geoff e Kate fica preocupada, vendo seu casamento desabar.

Temos aqui apenas uma indicação de melhor atriz para Charlotte Rampling.

Vamos ao trailer:


O que aconteceu com os dramas esse ano, minha gente? Mais um filme parado em que nada acontece. Sem emoções e sem grandes atuações, entediante!

Só serviu para refletir sobre a minha vontade de não querer ter filhos, mas isso eu conto depois, em outro post mais apropriado. 😉

Operação Oscar 2016: O Regresso

Um grupo de americanos exploradores está caçando nas redondezas no Rio Missouri no século 19 quando é atacado por índios locais e obrigado a fugir. Durante a fuga, o guia do grupo, Glass (Leonardo DiCaprio), é atacado por um urso e fica gravemente ferido. Com dificuldades para carregá-lo, o grupo deixa 3 integrantes para cuidar de Glass até a morte. Dentre eles, está John Fitzgerald (Tom Hardy) que nunca gostou do plano. Na primeira oportunidade, John dá um jeito de deixar Glass para trás. E então Glass começa uma luta pela sobrevivência e vingança.

Vamos ao trailer:

Sou dessas que escolhe o filme pelo ator. Tem certos atores que raramente fazem filme ruim e um deles é o DiCaprio. Fiquei muito empolgada para ver e fui ao cinema na estreia, até porque este é o grande destaque desse ano, com 12 indicações.

Um filme arrebatador! Com cenas de tirar o fôlego, realistas e muito bem feitas, você fica preso do início ao fim. E é isso que eu gosto, de suspense!

E o que falar do Leonardo DiCaprio? Que atuação! A gente sofre com ele ao longo do filme inteiro, de medo, de frio, de fome, de raiva! E tudo isso com apenas o olhar e a expressão dele. A sensação foi que ele entrou no roteiro com sangue de quem diz: “esse Oscar é meu, seus p***”.

Palmas também para Tom Hardy, que nem parecia o Max de Mad Max. Grande atuação!

Quanto a fotografia, fico sem palavras para descrever. A escolha do local foi certeira e sabendo disso, o diretor nos deu o presente de deixar cenas em que a paisagem era a grande protagonista.

Filme muito bem feito, dirigido, com grandes atuações e qualidade técnica (som, fotografia, maquiagem etc). Superou as minhas expectativas e com certeza trata-se do filme do ano!

A polêmica da família fantasiada de Aladim

Quem entrou nas redes sociais nesse carnaval viu a chuva de posts contra e favor da família fantasiada de Aladim. Quem não viu, eu explico. Uma família resolveu pular o carnaval fantasiada com uma fantasia que englobassem todos (pai, mãe e filho), assim como várias outras. E decidiram representar o filme Aladim: o pai era o Aladim, filho era o Abu, macaquinho melhor amigo do Aladim e a mãe era a Jasmine. 

 

A questão é que o filho, fantasiado de macaquinho, era negro. Aí, os politicamente corretos de plantão logo levantaram a bandeira do racismo. Que uma criança negra nunca poderia estar fantasiada de macaco.

Racismo ou não, o fato é que com as redes sociais as pessoas se acham no direito de falar o que bem entende deliberadamente. Não pensam que quem está do outro lado também é um ser humano que tem suas histórias, que ama, que sofre, que se magoa.

Você sabe a história dessa família? Você sabe o que eles passaram? Você sabe se o Aladim significa alguma coisa para eles ou para o menino? Ao invés de perderem tempo com a vida alheia, gastem suas energias sendo felizes ou fazendo algo para o próximo ou qualquer outra coisa. Mas parem de julgar!

Mudando um pouco a prosa, gostaria de saber quem foi a primeira criatura que associou o macaco à raça negra. Quem tem o mínimo de conhecimento sabe muito bem que o ser humano é uma evolução dos macacos. Então, todos nós, negros, brancos, amarelos, pardos, índios, loiros de olhos azuis, europeus e asiáticos, somos todos macacos.

O que eu vi na foto? Uma família feliz curtindo o carnaval como qualquer outra. E um menino feliz da vida por, talvez, estar pulando o seu primeiro carnaval.

A maldade está nos olhos de quem vê. 

 

Operação Oscar 2016: O Quarto de Jack

Jack é um menino que acaba de fazer 5 anos e vive em um quatro sem janelas junto com sua mãe que foi raptada há 7 anos e desde então sofre abusos sexuais e morais pelo seu sequestrador. Jack nunca viu o mundo lá fora e acredita que tudo se resume ao quarto, até que sua mãe lhe explica a situação em que eles vivem e o que realmente existe fora do quarto.

Quando finalmente eles conseguem sair do cativeiro, eles precisam se adaptar ao mundo, à liberdade e Jack embarca em uma jornada de aprendizado e descobertas.

Vamos ao trailer:

 

Assisti a este filme há 2 semanas atrás e estava até agora pensando no que escrever sobre ele. Trata-se de um filme “cabeça”, como eu costumo dizer, e profundo, cheio de possíveis análises. Porém, confesso que fiquei entediada. É parado demais! O pior foi que me senti a pessoa mais insensível do planeta Terra, pois parece que toda a internet amou e chorou com ele. E eu simplesmente não via a hora dele acabar. Adoro drama e a história é muito boa, mas precisa ter emoção, suspense, precisa mexer comigo e esse não rolou. Vou ler o livro, quem sabe não curta mais.

As minhas amigas psicólogas vão amar assistir e debater acerca dos traumas da personagem e as dificuldades cognitivas do menino. Aliás, o menino (Jacob Tremblay) deu um show de atuação!

Alguém aí que também não curtiu ou não chorou, comente aqui para eu me sentir melhor, pleaaaaaase.

Operação Oscar 2016: Spotlight – Segredos Revelados

Spotlight é uma equipe de jornalismo investigativo no jornal The Boston Globe. Quando um novo chefe do jornal é designado, a equipe recebe a missão de investigar os casos de abuso infantil envolvendo a Igreja Católica.

Vamos ao trailer:

 

Baseado em fatos reais, Spotlight nos mostra a importância do jornalismo investigativo, principalmente antes da internet. Adoro esse tipo de trabalho e acho que estamos carecendo desse tipo de jornalismo. Infelizmente, hoje em dia os jornais estão mais preocupados em ganhar dinheiro e apoiar uns e outros do que mostrar a verdade para a sociedade.

O filme é bem feito e gostoso de assistir, mas sem grandes emoções e suspenses.

O elenco forma uma equipe digna, porém quem chama atenção é Mark Ruffalo, indicado ao Oscar de ator coadjuvante. Mark se entregou ao papel, se mostrando um verdadeiro jornalista apaixonado pelo que faz.

Operação Oscar 2016: A Garota Dinamarquesa

Einer (Eddie Redmayne, indicado ao Oscar de melhor ator) é um pintor dinamarquês casado com a também pintora Gerda (Alicia Vikander, indicada ao Oscar de melhor atriz coadjuvante). Ele pinta quadros de paisagens e ela, retratos. Quando Gerda pede ao marido para que ele se vista de mulher para ela finalizar um quadro, Einer começa a se descobrir.

Baseado em fatos reais, o filme conta a história de Lili Elbe, a primeira transsexual a se submeter a uma cirurgia de mudança de sexo e o sofrimento de um homem em busca do autoconhecimento em uma época que não existiam referências.

Vamos ao trailer:

 

A Garota Dinamarquesa é um filme sensível e lindo. Confesso que o final foi um pouco previsível, mas nada que estragasse a beleza do filme.

A atuação do Eddie é brilhante! Quanta sensibilidade ele precisou para fazer esse papel. O personagem cresceu ao longo do filme. E o ator some totalmente quando Lili entra em cena, mudando a voz, o modo de andar, os jeitos e até a fisionomia. Porém, depois de ganhar o Oscar do ano passado, já esperávamos isso dele.

No entanto, Alicia foi a grande revelação nesse filme. Sentimos a emoção dela quando ela não soube o que fazer ao perceber a feminilidade no marido e amor ao apoiá-lo na difícil decisão. Creio que isto deu força a ele para continuar.

Aplaudo de pé a atuação de ambos!

Pontos também para o figuro e fotografia que estavam perfeitos.

Operação Oscar 2016: Brooklyn

A jovem Eilis tem uma vida pacata sem muitas emoções na sua cidade natal na Irlanda nos anos 50. Porém, ela decide mudar de vida e ir morar nos EUA, mas precisamente no Brooklyn, onde encontrou uma pensão e um trabalho.

Mesmo com a sua nova vida e cheia de oportunidades, Eilis continua infeliz e sentindo saudade de casa, até que conhece um jovem gentil italiano e se apaixona.

Vamos ao trailer:

 

Estou até agora me perguntando porque diabos este filme foi indicado ao Oscar. Embora seja leve, bonitinho, não passa de um romance mamão com açúcar em que nada acontece ao longo dos 105 minutos. Sem grandes emoções, suspenses e atuações.

Recomendo apenas para uma sessão da tarde, quando não se tem nada para fazer.

Operação Oscar 2016: Perdido em Marte

O astronauta Mark (Matt Damon) é dado como morto e deixado para trás pela sua tripulação após uma grande tempestade em Marte. Após acordar e se dar conta do que aconteceu, Mark utiliza todos os seus conhecimentos adquiridos na faculdade e em seu treinamento na NASA para sobreviver.

Quando a NASA descobre que Mark está vivo, planos de regaste começam a ser traçados.

Vamos ao trailer:

 

Perdido em Marte aborda a luta pela sobrevivência de uma forma leve e alegre, repleto de mensagens positivas. Após ser abandonado, Mark é otimista, esperançoso e bem humorado, totalmente diferente de personagens de outros filmes de sobrevivência.

Com cenas inteligentes e engraçadas, o filme nos faz refletir sobre a forma como lidamos com desafios. Se você já entrar no jogo se sentindo derrotado, não conseguirá pensar e agir corretamente e certamente derrotado será.

Matt Damon trabalhou muito bem, mas nada fenomenal.

Ponto extra também para a fotografia sensacional!

Posso dizer que este é o melhor filme indicado ao Oscar que já vi até agora.

Operação Oscar 2016: Mad Max – Estrada da Fúria

Mad Max se passa em um cenário pós-apocalíptico no deserto onde os sobreviventes lutam pelas suas necessidades. Em uma das comunidades, temos um líder local, Joe, que explora a população por possuir uma grande reserva de água e captura sobreviventes para servirem de banco de sangue para seus soldados. Um dos capturados é Max, um homem que luta contra seus próprios fantasmas.

Uma das pessoas de confiança de Joe, Furiosa, se revolta e foge da comunidade para salvar mulheres grávidas. Joe vai atrás dela com todo o seu exército, gerando uma verdadeira corrida de carros no meio do deserto. Max se vê, por acaso, no meio disso e passa a ajudar Furiosa.

Vamos ao trailer:

 

Sinceramente, não sou muito fã de filmes de ação e, portanto, Mad Max não é o meu estilo de filme. Porém, combinado é combinado e verei o máximo de indicados ao Oscar antes da premiação.

Não assisti aos anteriores da franquia, mas não teve nenhum impacto no entendimento do roteiro. Os filmes não parecem tão conectamos entre si como Stars Wars, por exemplo. Se você, assim como eu, também nem sabia o que era Mad Max, pode ver tranquilamente.

Para quem gosta deste estilo, temos aqui um prato cheio. Ação do início ao fim. E o que me surpreendeu foram os poucos efeitos especiais utilizados nas cenas, deixando a coisa mais realista. Odeio filme de ação que tá na cara que aquela cena é impossível de acontecer. Mas não empolga muito no quesito suspense, entendem o que eu quero dizer? Não me deixou ansiosa para saber o que vai acontecer depois. 

O que mais me fascinou foi a locação escolhida para filmagem, a fotografia, a qualidade do som, a trilha sonora e a maquiagem. Tudo tão perfeito que me arrependi de não ter visto tudo isso no cinema em tela grande e com som melhor.

E se você parar um pouco para pensar, percebe que ele traz uma mensagem interessante por trás de toda aquela insanidade, o que é um diferencial entre os filmes de ação.

Acredito que não seja um ganhador de Oscar de melhor filme, mas com certeza ganhará algumas estatuetas técnicas.

Operação Oscar 2016: A Grande Aposta

A Grande Aposta explica a crise imobiliária e econômica dos EUA de 2008 que afetou o mundo e conta a história de quatro figurões que a anteciparam e fizeram grandes investimentos anos antes, apostando contra o sistema econômico americano que parecia estar muito bem.

Vamos ao trailer:

 

A contar pela história e pelo elenco, eu esperava muito desse filme e até sentia cheiro de Oscar. Mas fiquei desapontada! Achei que o diretor se perdeu no roteiro. Perdeu tempo querendo explicar detalhes complicados de entender que poderiam ficar de lado sem comprometer o todo. E gostei menos ainda de como eles foram explicados, saindo do plano original e mostrando uma cena nada a ver com personagens fora da trama, fazendo analogias com situações do dia a dia, deixando claro que trata-se de um filme de humor. Isso funciona em palestras, mas em filme eu definitivamente não curti.

Não o vejo ganhando o Oscar de melhor filme, mas depois que vi Birdman ganhar no ano passado contra 2 filmaços (A Teoria de Tudo e O Jogo da Imitação), não duvido de nada.

Também não percebi nenhuma atuação brilhante. O único melhorzinho é o Christian Bale, que está concorrendo ao Oscar de melhor ator coadjuvante.

Para completar a minha decepção, ainda conseguiram deixar o Brad Pitt e o Ryan Gosling com cara de esquisitões. Triste. 😦

Saminp in Morocco

My journey to Morocco / Minha jornada ao Marrocos

30 antes dos 30

O dia a dia na vida de uma quase balzaquiana

PapodeHomem

Just another WordPress.com site

Spicy Vanilla por Cinthia Ferreira

Tudo o que gostamos de papear com as amigas (e com os amigos também)...

Dia de Beauté

Porque quase nada é tão legal quanto maquiagem

MakeUp Atelier por Cinthia Ferreira

Tudo o que gostamos de papear com as amigas (e com os amigos também)...

%d blogueiros gostam disto: